Smart Cities: O conceito que está transformando o Futuro das Cidades

O termo Smart Cities (ou Cidades Inteligentes) começou a ser mais popular nos últimos anos e muitas vezes é associado a projetos utópicos de cidade futurísticas. Atualmente esse tema se tornou muito mais comum e realista.

O enfoque das Smart Cities está no projeto de cidades mais criativas e sustentáveis, onde todos os processos são feitos a partir do bom uso da tecnologia e com participação constante dos seus habitantes. Essa participação acontece através de sistemas inteligentes que, por meio da coleta de informações, traz soluções mais eficazes para situações do cotidiano.

De acordo com o estudo intitulado Cities in Motion, realizado pelo IESE Business School na Espanha, 9 setores indicam o grau de inteligência de uma cidade:

  • 1) Governança;
  • 2) Administração Pública;
  • 3) Planejamento Urbano;
  • 4) Tecnologia;
  • 5) Meio ambiente;
  • 6) Conexões internacionais;
  • 7) Coesão social;
  • 8) Capital humano; e
  • 9) Economia.

 

Inteligência e o Futuro das Cidades

No meio ambiente, algumas cidades já iniciaram processos de inteligência. Em 2011 a cidade de Dubuque (localizada em Iowa, nos Estados Unidos), fez a troca dos medidores de água de 300 casas. Os novos medidores faziam a análise do consumo de água em tempo real e, dessa forma, os dados seriam constantemente atualizados pela central. Os moradores conseguem acessar seus dados de consumo via internet e compará-los por períodos e com diferentes pessoas. No início do projeto 6,6% do consumo de água foi reduzido graças a percepção de alguns moradores sobre vazamentos em suas casas.

Alguns projetos também foram feitos quanto a mobilidade urbanaNa Coréia do Sul, foram instalados sistemas de monitoramento de trânsito que conseguem prever engarrafamentos com 10 minutos de antecedência. Os semáforos que alteram o tempo da sinalização de acordo com a movimentação gerada nas vias e, com base nos dados recebidos, é possível enviar informativos aos motoristas ou então exibi-los em painéis nas vias.

De acordo com Andrew Anagnost, Presidente e CEO Board Director da Autodesk, uma cidade inteligente consegue mensurar o quanto um recurso está sendo utilizado por meio de dados que são disponibilizados através do dia a dia das pessoas. Por exemplo, uma cidade inteligente produz sua energia, administra e é capaz de adaptá-la para que ela se torne mais eficaz.

 

Futuro das Smart Cities

O conceito de Smart Cities busca a melhoria da qualidade de vida das pessoas. A ideia é que no futuro a grande maioria das cidades possam ser consideradas inteligentes. Isso porque, como as cidades se tornarão mais habitadas, caso elas não sigam nessa direção, haverão problemas de abastecimento de água e energia, as cidades serão mais poluídas e com maiores riscos à saúde, e o acesso à infraestrutura básica se tornará acessível apenas às classes mais altas.

 

 

Fonte: Revista Galileu – Cidades inteligentes

 

Informações adicionais

Para mais informações, entre em contato conosco: (11) 3224-1900, (11) 97303-7929 (whatsapp) ou [email protected]. Acompanhe também nossa página no Facebook.

Você sabia que somos Centro Autorizado de Treinamentos (ATC®)  da Autodesk? Acesse nossa Plataforma de Treinamentos e saiba mais!

 

Conteúdos relacionados

[Artigo] BIM: Tendência mundial na indústria de projetos e construção e suas Políticas Globais →

[Artigo] Usos do BIM para Infraestrutura: Conheça os Cases de Sucesso de nossos Clientes →

[Artigo] Presidente Temer inicia nova plataforma em BIM →

[Artigo] Conheça os Benefícios do BIM para Engenharia Civil →

[E-book] 5 Benefícios do BIM para a Engenharia Civil →

[E-book] Introdução ao BIM – Um guia para o seu primeiro projeto →

[E-book] Etapas para o Processo de Implementação BIM (Building Information Modeling) →

[E-book] Case de sucesso l Catter Engenharia: Projeto Executivo de Infraestrutura Rodoviária em BIM →

[E-book] Case de sucesso l Canhedo Beppu: Projeto Executivo de Infraestrutura Rodoviária em BIM →

[E-book] Case de Sucesso l CPTM: Implementação do BIM na CPTM →

 

 

Natalia Magatti

Formada Arquiteta e Urbanista pela Universidade São Judas Tadeu (USJT) em 2016 e atua na Frazillio desde 2018 como Analista de Treinamentos. Trabalha com softwares BIM desde seus estudos sobre os usos de Revit em 2014 elaborando modelos 3D e pós produção de imagens utilizando softwares como AutoCad, 3Ds Max e plataformas como A360.

Cadastre-se para receber a nossa Newsletter

Próximos Eventos

Ver Mais >